Cotações

13 de abr de 2012

Inflação controlada Pós Plano Real

Quando um político da base governista disser que, “Nunca antes na historia desse país a economia cresceu tanto, nunca foi gerado tantos empregos, a população hoje consome mais e a inflação esta sob controle”. Em suma, atribuir todo mérito da situação econômica atual, ao seu Governo, e não reconhecer todo o trabalho que foi feito la atrás, nos anos 90, que graças a tais esforços do passado estamos colhendo os frutos no presente  e continuaremos colhendo no futuro.

Nesse texto vou explicar de forma simples e clara que foi  graças aos esforços dos 80 e 90, que se estabilizou o nível de preços nos anos 2000, propiciando um ambiente favorável ao crescimento da economia nos anos posteriores.

No período pré 1994 a economia nacional sofria com altos índices de inflação (principalmente durante a década de 80), graças ao Plano Real, foi controlada,  apesar de pequenas oscilações que observaremos no estudo a seguir.
Por meio do IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), analisaremos e evolução da inflação nos anos 2000 e as principais causas que explicam a inflação em cada ano.

Sistema de Metas de Inflação
A partir de 1999 com o BC estabelecendo o Sistemas de Metas de Inflação, observa-se (junto a estabilidade proporcionada pelo plano) um alto ganho de controle da inflação anual através de ajustes em outras variáveis (principalmente a taxa de juros).




Histórico resumido e causas da inflação de 1999 a 2010


1999 O BC estabelece o sistema de Metas de Inflação.

2000 Em Maio deste ano entra em Vigor a Lei de Responsabilidade Fiscal. Inflação dentro da meta, preços do álcool caem 11,06%,

2001 A inflação supera a meta. Choques internos e externos: Crise energética, incertezas quanto sucessão presidencial de 2002, crise da Argentina, ataques terroristas EUA. A depreciação cambial (resultado da crise da Argentina) destaca-se como o fator que mais pressionou a inflação. Problemas climáticos fizeram com que alimentos tivessem uma alta de 9,63% no ano, e os produtos não alimentícios tiveram uma alta de 7,12%.

2002 Mais um ano em que a inflação supera o teto da meta. Incertezas quanto a sucessão presidencial fizeram o dólar se valorizar 53,2% no ano em relação ao real, no auge da crise da de confiança, o risco-país atingiu 2.436 pontos em Setembro deste ano. Preços dos alimentos sobem 19,47%.

2003 Despesas pessoais 11,30%, Saúde 15,16%, Habitação 10,96% pressionaram a inflação.

2004 Alta nos preços internacionais do petróleo fazendo a gasolina acumule alta de 14,64% no ano. Problemas climáticos, preço do álcool sobe 31,58%. Tarifas de energia elétrica 9,64%, telefone 14,76%.

2005 Boa oferta de produtos agrícolas, alimentos e bebidas contribuíram para conter a inflação, acumularam variação de 1,99% no ano e valorização do real frente ao dólar. O grupo que apresentou maior variação em 2005 foram os transportes, com alta de 8,07%, gasolina 7,76% , salários de empregados domésticos 11,52% e tarifas de serviços públicos como energia elétrica  8,03% e telefone fixo 6,68%.

2006 O real valorizado, a boa oferta de produtos agrícolas e os menores aumentos de tarifas públicas sustentaram a redução da inflação ao longo do ano, alimentos tiveram alta de 1,22%, combustíveis, de 2,30%, energia elétrica 0,28%, tarifas de telefonia fixa caíram 0,83%, higiene pessoal 0,65%, aparelhos de TV e informática caíram 12,07%  e artigos de limpeza 2,29%.

2007 Condições climáticas desfavoráveis, preços elevados dos produtos cotados no mercado internacional, aumento das exportações, redução de safra por baixa remuneração em períodos anteriores e aumento da demanda por alimentos. Alimentos e bebidas tiveram alta de 10,79%, energia elétrica teve deflação de 6,16%.

2008 Preços dos alimentos subiram 11,11% refletindo o aumento dos preços no mercado internacional e o crescimento da demanda por esses produtos. Despesas Pessoais 7,35%, serviços de telefonia fixa 3,64% e de taxas de água e esgoto 7,11%. Antes da crise do subprime, os preços das commodities situavam patamares históricos, e barriu do petróleo bateu  144,00 dólares em 11/07.

2009 Alimentos sobem 3,18%, não alimentícios 4,65%, despesas pessoais 8,03%.  A economia brasileira não cresceu nesse ano devido a crise americana, o que contribui para que a inflação fosse baixa.

2010 O aquecimento da economia brasileira, com desemprego em queda e renda em alta, além da valorização de algumas commodities agrícolas no mercado internacional, são apontadas como as principais razões da retomada da inflação em 2010. A carne subiu 30% e o feijão, 51%, aluguéis (7,4%).


IPCA anos 90 %Presidentes
19901620,96
1991472,69Fernando Collor de Mello
19921119,09
19932477,15Itamar Franco
1994916,43
199522,41
19969,56Fernando Henrique Cardoso
19975,22
19981,66

Inflação antes dos Anos 2000

Fonte: Bacen/adaptado

Conclusão

Neste trabalho, relatamos de forma resumida o período de estabilização monetária que a economia brasileira desfruta comparado aos anos anteriores. Tal feito pode ser atribuído  em especial ao sucesso do Plano Real, lei de responsabilidade fiscal, a adoção do Sistema de metas de Inflação pelo BC desde 1999 entre outros, trouxeram credibilidade, previsibilidade e estabilidade para o mercado nos anos posteriores a sua implementação.
Apesar de a inflação ter extrapolado a meta nos primeiros anos, hoje o sistema de metas junto com a política monetária do COPOM, que por meio da taxa básica de juros SELIC controlam o nível de liquidez na economia, são os principais instrumentos de controle a inflação.

Por isso é bom ficar atento, nenhum Governo ou partido político ”Consertou” a economia de 2002 pra frente, mas sim, graças aos esforços dos anos 80 e em especial nos anos 90, o Brasil hoje desfruta de taxas controladas de inflação, juros “baixos”, reservas internacionais elevadas, taxas baixas de desemprego, e muitos outros dados macroeconômicos positivos.
Em suma, tudo é resultado de um trabalho de longo prazo que resultou numa estabilidade econômica, tal estabilidade trouxe benefícios muito além do controle inflacionário, dentre eles, a estabilidade e previsibilidade econômica, o que repercutiu no crescimento da economia brasileira nos anos seguintes.


REFERÊNCIAS

BACEN. Histórico de Metas de inflação. Disponível no site: www.bcb.gov.br. Acessado em 21/05/2010.

IPEADATA. Inflação IPCA. Disponível no site: www.ipeadata.gov.br. Acessado em 21/05/2010.

NEC. Artigo Conjuntura Econômica. Inflação de 2001 supera a meta. Disponível no site: : http://www.nec.ufba.br/artigos/Artigos/Revista_Conjuntura_e_Planejamento/2002.02%20-%20Inflação%20de%202001%20supera%20a%20meta.pdf.
ESTADÃO. Relatório de inflação prevê IPCA de 12,4% em 2002. Disponível no site: http://www.estadao.com.br/arquivo/economia/2002/not20021230p43467.htm. Acessado em 21/05/2010

FOLHAONLINE. Inflação de 2004 supera centro da meta pela 5ª vez em 6 anos, diz IBGE. Disponível no site: http://www1.folha.uol.com.br/folha/dinheiro/ult91u92481.shtml. Acessado em 21/05/2010

FOLHAONLINE. IPCA fecha 2005 com inflação de 5,69%, acima do centro da meta. Disponível no site: http://www1.folha.uol.com.br/folha/dinheiro/ult91u104163.shtml. Acessado em 21/05/2010


FOLHAONLINE. Brasil tem inflação pelo IPCA de 3,14%, a 3ª menor da América Latina. Disponível no site: http://www1.folha.uol.com.br/folha/dinheiro/ult91u113668.shtml. Acessado em 21/05/2010


FOLHAONLINE. Inflação do IPCA fecha 2007 em alta de 4,46%, diz IBGE. Disponível no site: http://www1.folha.uol.com.br/folha/dinheiro/ult91u113668.shtml. Acessado em 21/05/2010


ECONOMIA UOL. IPCA fica em 5,9% em 2008, o maior resultado em 4 anos. Disponível no site: http://economia.uol.com.br/ultnot/2009/01/09/ult4294u2093.jhtm. Acessado em 21/05/2010


ESTADÃO. IBGE: inflação pelo IPCA fecha 2009 em 4,31%. Disponível no site: http://www.estadao.com.br/noticias/economia,ibge-inflacao-pelo-ipca-fecha-2009-em-431,494826,0.htm. Acessado em 21/05/2010

Curitiba 30/08/2010



2 comentários:

  1. Em negrito voce deixou claro que nao gosta do PT. Muito parcial seu texto...

    ResponderExcluir
  2. "Por isso é bom ficar atento, nenhum Governo ou partido político ”Consertou” a economia de 2002 pra frente, mas sim, graças aos esforços dos anos 80 e em especial nos anos 90,"

    Independente do partido, com minha visão de economista, tal discurso mentiroso eu iria criticar.

    ResponderExcluir